domingo, 22 de julho de 2012

Diário de Elizabeth - Capítulo 16

 Corri até encontrar a porta que ficava nos fundos da casa, entrei sem aos menos pensar no que estava fazendo. Me deparei com pedaços da casa caindo na minha frente. Fui cautelosa em subir as escadas. Me desviei de um pedaço de madeira incendiado. Fui em direção ao quarto da mamãe. Consegui entrar e procurei pelo armário. Abri a gaveta de um um e não achei; olhei em todas as gavetas com dificuldade. Até que achei enrolado em um pano do fundo de uma gaveta no armário perto da porta. Não quis abrir o documento pra verificar, eu tinha que sair dali logo. Vi uma parte da janela desabar. Sem querer gritei auto pelo meu medo. Só agora parei pra pensar onde estava, como estava e o que estava fazendo. Eu estava me matando só pode. Vi a casa se desabando ao meu redor. Tentei sair dali pra uma parte que tinha menos fumaça. Mas piorou, agora eu mal podia ver onde estava. Comecei a tossir e era impossível respirar.
- Socorro! - tentei gritar.
 Me segurei em uma mesa que tinha ali perto e me apoiei.
- Socorro! - gritei de novo - CHARLIE!
 Vi mais uma parte do chão desabar. Corri pra outro cômodo, mas eu já estava sem saída.
 Sentei no chão e me encolhi em uma pequena parte. As lágrimas inundavam meu rosto e meu coração acelerava de desespero. Ali era o fim pra mim. Se pelo menos o documento fosse salvo...!
 Eu já não aguentava mais, o calor, a fumaça, nada. Ouvi um barulho diferente se aproximando.
- Milena - alguém disse meu nome.
 Eu conhecia essa voz. Mas a partir dali, eu já não enxergava mais nada.

 Novamente viajei em um de meus sonhos bizarros. Eu estava entrando em desespero. Só pensava na minha mãe, onde ela poderia estar agora ? Como a casa se incendiou ? Porque todo mundo está escondendo as coisas de mim ? Que mal eu poderia fazer se soubesse da verdade ? Quanto mistério, meu Deus!

 Eu já havia despertado, mas não quis abrir os olhos. Eu parecia estar deitada numa espécie de colchonete em cima de um gramado e ouvia vozes. Eu poderia saber quem eram, cada um. Até que lembrei do documento, ele não estava em minhas mãos. Fiquei com medo do que poderia acontecer agora.
 Abri os olhos pelo canto do olho e espiei o lugar. Eu estava sozinha, as outras pessoas estavam do outro lado da floresta, e não viram que eu levantei de impulso assim que vi Justin. Ele era único que estava quieto e sem dizer nada. Logo a frente dele estava Jeremy com os braços cruzados em frente ao meu pai....MEU PAI. Charlie não disse...! Ah, deixa pra lá. Em falar nele, Charlie estava andando de um lado pro outro atrás de papai. Ele olhou pra mim e arregalou os olhos. Pensei que ele viesse até mim, mas ele virou pro norte e seguiu andando, olhou pra mim como se fosse pra mim segui-lo. Me levantei devagar e atravessei as árvores por um caminho diferente pra que ninguém me visse.
 Finalmente achei Charlie perto do lago.
- O que deu em você em entrar lá ? - ele veio com bronca.
- Eu tinha um motivo.
- É perigoso.
- Eu sei, mas...você não tem que ficar me fazendo perguntas. Você é que deve me responder.
 Ele se virou.
- Primeiro: cade a mamãe ?
 Ele respirou fundo.
- Em casa.
- Que ? que casa?
- A que estava incendiando.
 Me virei em direção a casa, mas Charlie segurou meu braço.
- Você não entende ?
- O que ?
- A mamãe é uma traidora.
- An ?
- A nossa mãe é uma Bieber, Milena, nunca ouviu falar da história...
- Da rixa dos Bieber com os Brand ?
- Como ficou sabendo ?
- Isso não interessa agora. Eu só quero saber quem me tirou do incêndio.
- Parece que existe alguém que te conhece mais do que eu.
- Quem ?
- Justin.
 Meu coração bateu mais forte quando ele disse isso.
- Ele...ele me salvou ?
- Sim.
- E como começou o incêndio ?
- Mamãe sem querer deixou uma vela cair em uma tapete feito a mão e logo o fogo se alastrou pela casa. Antes disso nossos pais tinham brigado por causa...
- Charlie, não existe mais essa rixa.
- Como ?
- O pacto foi desfeito á anos atrás.
- Como sabe disso ?
- Cade aquele rolo de papel que estava nas minhas mãos ?
Ele pareceu pensativo.
- Vem cá - Charlie segurou minha mão e nos levou de volta á aquele pequeno lugar onde Justin estava - é aquele ali ? - ele nos abaixou por precaução e apontou pra onde estava meu casaco.
 O documento estava lá a salvo.
- Agora me diz pra que ele serve ?
 Respirei fundo e comecei a contar a parte que Elizabeth e Josué assinam o documento. Ele pareceu entender.
- Mas quem são esses dois ?
- Longa história, agora temos que pegar o documento e acabar com tudo isso.
__________________________________________________
Beliebers, beliebers. O capítulo ficou muito confuso, né ? Sei que estou demorando a postar, mas é que tá difícil achar um desfecho pra essa história - fiquei 3 dias escrevendo isso e quebrei a cabeça até pra achar um final e estou terminado de escrever a próxima fanfic. Então fiz um capítulo caprichado pra vocês. BEIJOOOOS

5 comentários:

Gabriela Mendes disse...

Não tá confuso não! Pelo menos pra mim. Até que enfim o pacto se desenrolou! Hihi ! Já tô ansiosa pra next fic! Beijocas ;*

Juuh disse...

Heey ta perfeitoo continua logo tah flor?
Bjinhos, Júuh
~~> http://apenasumabelieberbelieve.blogspot.com.br/

Anônimo disse...

Aaaaaaaai meu Deus! Tá muito bom!! Pena que está acabando :(( continua logo! Super anciosa pra proxima fic!!!
@MyWorld_NSN

Giovanna Beadles disse...

Meu deus , que lindo ! continua amor , é muita perfeição pra uma história só . Milena e Justin ficam juntos ? beijos.

BeliebersSwaag disse...

Meu Deus continuaaa